Warning: This module may not support sharing across sites


You are attempting to add a reference to this module that exists on another site in this group. This module may or may not support sharing across multiple sites - it doesn't explicitly state either way whether it does.

If you are sure that it does, or if your intent is to test its ability to do so, then proceed with caution and be aware that certain functionality in the module - or even the entire module - may not function correctly in this configuration.

If you are confused by this message or are working on a site that cannot tolerate any breakage, you should click Cancel and contact the DotNetNuke Support Team.


 
  • Site
  • Web
Search
  |  Login
Evite os acidentes, garanta a segurança da sua instalação de gás

Se tiver alguma dúvida quanto aos procedimentos a adoptar, contacte os Bombeiros locais, a sua empresa distribuidora e em último caso, se necessitar de mais alguma informação, estamos ao seu dispôr.
É cada vez maior o número de utilizadores de gás combustível para utilização doméstica. O seu uso, exige o conhecimento e o cumprimento de algumas regras de segurança que o ajudarão a evitar potenciais acidentes.

TOME ESPECIAL ATENÇÃO:

Nunca instale esquentadores em casas de banho;
Nunca instale garrafas de gás propano no interior da sua habitação;
Nunca utilize ou guarde garrafas de gás em caves;
Nunca movimente garrafas de gás, completa ou parcialmente vazias, sem fechar a válvula de segurança;
Nunca coloque garrafas de gás na horizontal; mantenha-as sempre com o redutor para cima, na vertical.

HABITUE-SE A CUMPRIR AS SEGUINTES REGRAS DE SEGURANÇA:

Acenda sempre o fósforo antes de abrir o gás;
No caso de usar um acendedor eléctrico, abra primeiro o gás e depois o acendedor;
Quando acender o forno, coloque-se de lado e não de frente;
Nunca ligue interruptores nem faça lume durante a substituição duma garrafa vazia;
Nunca deixe os aparelhos de queima em funcionamento quando tiver de se ausentar;
Fecha a válvula de segurança do contador e/ou de corte ao redutor da garrafa, sempre que se ausentar;
Nunca pendure objectos nos tubos de alimentação.

EM CASO DE FUGA DE GÁS:
Feche as válvulas de segurança do contador e de corte ao redutor;
Não fume, nem faça lume e apague quaisquer chamas;
Não provoque faíscas, ou incandescência de qualquer material;
Não accione interruptores;

A REGRA GERAL DE COMBATE A UM FOGO DE GÁS, É A DE CORTAR A ALIMENTÇÃO SO COMBUSTÍVEL LOGO QUE POSSÍVEL E EM CONDIÇÕES DE SEGURANÇA.

Madeira avança com projecto de Gás Natural

A par do grande esforço financeiro e técnico que tem sido desenvolvido e se manterá no aproveitamento de recursos endógenos renováveis, designadamente de origem hídrica e eólica, a Região ciente de que não é possível construir um sistema eléctrico apenas com base em energias intermitentes, tem vindo a analisar soluções que permitam que a produção eléctrica de origem térmica, como base do sistema e essencial para garantir segurança e estabilidade do mesmo, possa também contribuir para melhorar o ambiente através de substituição do petróleo (fuel óleo) por matérias primas mais limpas e mais amigas.
Diversos e aprofundados estudos realizados sob a responsabilidade da EEM demonstraram a viabilidade técnica e económica da introdução do gás natural na Madeira, mostrando ser este combustível competitivo, em custo, como alternativa à utilização de produtos petrolíferos para a produção de electricidade, e não só, proporcionando, também, uma muito significativa redução das emissões poluentes para a atmosfera, com enormes vantagens na protecção do ambiente, permitindo, ainda, diversificar as fontes de aprovisionamento, o que, dada a envolvente internacional que caracteriza os mercados energéticos actuais, constitui um inegável factor de segurança.
Na sequência dos estudos, foi tomada a decisão estratégica de construir um terminal de recepção, armazenamento e regaseificação de gás natural liquefeito (GNL), e de emissão de gás natural (GN), na margem esquerda da Ribeira dos Socorridos, junto à foz, no concelho do Funchal.
A localização do Terminal de GNL da Madeira, resultou da avaliação de diversas alternativas, cuja análise se encontra pormenorizadamente desenvolvida no Estudo de Impacte Ambiental realizado, tendo sido escolhido aquele local, fundamentalmente, por se situar junto das Centrais Termoeléctricas da Vitória I e II, principais centros produtores de electricidade da Madeira, e do local onde está em construção a Central Termoeléctrica da Vitória III, que serão os principais consumidores de gás natural, indispensáveis para viabilizar o projecto, e por se situar, também, próximo e com fácil acesso a outros potenciais consumidores industriais, hoteleiros e domésticos.
No âmbito desta estratégia, foram já encomendados os três primeiros grupos geradores da Central Termoeléctrica da Vitória III, que ficará, assim, equipada, desde o início do seu funcionamento, previsto para 2010, com três motores dual-fuel, que lhe permitirá usar gás natural logo que esteja concluído o Terminal de GNL da Madeira, sendo as futuras expansões daquele centro produtor de electricidade realizadas mediante a instalação de equipamentos queimando gás natural, previsivelmente com turbinas a gás natural em ciclo combinado, tendo em vista a obtenção de valores de rendimento mais elevados.

Objectivo principal da energia limpa

Como fonte de energia primária, tendo como objectivo principal a substituição de grande parte dos combustíveis derivados do petróleo para a produção de electricidade, que, como se referiu, é o factor essencial da viabilização da decisão, a introdução de gás natural na Madeira proporcionará, também, o acesso a uma forma de energia mais limpa, mais económica, mais segura e mais cómoda por parte de outros sectores de actividade, designadamente indústria, transportes, hotelaria e doméstico, potenciando a criação de novas áreas de negócio e contribuindo de forma muito significativa para o desenvolvimento regional.
No primeiro ano de operação do Terminal, o consumo de gás natural para a produção de electricidade poderá ser de cerca de 50 milhões de m3, correspondendo a uma produção de 262 GWh.
Considerando o aumento previsto da penetração das energias renováveis, cujo objectivo é alcançar 36% em 2016, a projecção da produção de electricidade, total e a gás natural, é a que vai indicada na figura, para um período de 30 anos.

Fonte - Jornal da Madeira